A bicicleta ideal…

Já li uma vez que a bicicleta ideal (para diversas situações) é aquela que temos ou que podemos comprar. É um aforismo muito correto.

Planejando essa viagem me deparei com inúmeros artigos e textos escritos por ciclistas, cicloturistas, cicloviajantes, como queiram chamar.

Alguns utilizavam bicicletas e equipamentos extremamente simples; outros investiram em componentes sofisticados.

Todos fizeram suas viagens de acordo com seus propósitos: alguns com excelentes médias de velocidade; outros de modo comedido e sem muita preocupação com o tempo.

Uma vez assisti um vídeo do Breno Bizinoto em que ele disse ter feito toda sua viagem (mais de 17.000 km) no “modo race”, socando a bota, na gíria dos ciclistas.

Na estrada conheci um rapaz que me contou nunca ter feito mais de 60 km em um dia (estava viajando há 2 anos).

São propostas completamente diferentes de viagem e que precisam de equipamentos adequados a cada um. Não há uma fórmula mágica.

Portanto, acredito que a escolha da bicicleta (no caso o tipo de quadro) e seus componentes (pneus, relação, tipo de freio etc.) é muito pessoal e precisa levar em consideração o tipo de viagem que se planeja: caracteriaticas de percurso, distância entre as cidades na rota, autonomia de comida e água, material de acampamento etc.

Grande parte dos que viajam de bicicleta utilizam a Mountain Bike (MTB), poucos utilizam bicicletas de estrada ou modelos híbridos.

As MTB são extremamente versáteis: permitem andar na estrada, na terra e na areia.

Entretanto, em razão de sua geometria, peso e, principalmente, características do pneu, são mais lentas na estrada.

As bicicletas de estrada limitam -se às rodovias pavimentadas e as híbridas permitem que se ande em estradas não pavimentadas mas sem muitos obstáculos ou muito “fofas”.

Por outro lado, foram construídas privilegiando a velocidade e performance, com uma geometria mais aerodinâmica.

Pessoalmente, não acredito que existam diferenças no quesito “conforto” quando comparamos esses 3 modelos.

Entendo que é mais uma questão do ajuste das medidas da bicicleta ao ciclista.

Acredito que um bom bike fit é um investimento muito interessante. Infelizmente é um pouco caro.

Entretanto, entendo que um ajuste utilizando sites da internet aliados ao conhecimento do ciclista podem garantir uma posição confortável e equilibrada.

Assim, a escolha da bicicleta ideal depende de dois fatores: quanto você pode investir nesse equipamento e o tipo de uso que você pretende com o mesmo.

Acredito que isso seja pertinente tanto para comprar um bicicleta de final de semana quanto para uma bicicleta de competição.

O importante mesmo é estar em movimento, fazer uma escolha consciente e ser feliz com ela.

Nos próximos dias vou publicar outro texto explicando um pouco sobre a bicicleta que escolhi.

Obrigado por acompanhar.

Grande abraço.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s