Caraíva

Existem 4 grandes grupos de pessoas em Caraíva: os nativos; aqueles que mudaram-se para estabelecer pousadas, bares e restaurantes; aqueles que estão trabalhando na cidade (em geral jovens, artistas etc.) e os turistas.Conversei com um nativo (condutor de bugue) que me reclamou que tudo era muito caro. Que ele não podia sair para comemorar o aniversário da filha em uma pizzaria porque a conta ficaria muito alta.Mesmo que aquele passeio que fiz tenha sido muito caro, acredito que ele não deva ser o dono do bugue e que muitas outras pessoas devem lucrar mais que ele com seu trabalho.É muito estranho isso. Uma vez que tudo na cidade é caro, a pessoa que trabalha ali deveria também ganhar mais, posto que mão de obra em geral é um fator importante na composição de um produto ou serviço.Na prática, isso não acontece, pois a cidade tem muitos donos. O proprietário de um terreno, o empresário que o loca e constrói um restaurante, o gerente do estabelecimento e por aí vai.O capitalismo é curioso: se mantém do consumo, mas cada vez menos as pessoas podem consumir em razão dos altos preços.Os donos de estabelecimentos têm uma característica que me chamou muito a atenção (especialmente os mais antigos na cidade): nutrem um sentimento de zelo por Caraíva. Amam o lugar, parecem querer viver para sempre ali.Os inúmeros jovens que trabalham e vivem na cidade são uma atração a parte. Muitos bons músicos, artistas plásticos, pessoas que estão dando um tempo da vida nas grandes cidades fazendo voluntariado nos “hostels” e trabalhando em outro estabelecimento como garçons, caixas e mesmo músicos.Conheci 2 cicloviajantes que faziam trabalho voluntariado em um hostel e tocaram na noite em todos os dias que estive em Caraiva.O projeto deles chama “@lamusicleta”. São dois boemios e engraçados chilenos. Já viajaram muito e estão em Caraiva de passagem, fazendo amigos e nos encantando com seu talento.Por fim, os turistas. Há todo tipo de turista em Caraiva. Os “good vibes”, a galera da ostentação, o pessoal que vai com a grana contada e se desdobra pra viver alguns dias ali, uns ciclistas malucos também fazem parte da tribo.Caraiva é um lugar lindo, povoado por pessoas bacanas que estão ali construindo sua história, vivendo fora da caixinha.Espero que Caraíva se mantenha preservada para que mais pessoas possam sentir a emoção de atravessar o rio de barco (sem motor) e chegar na outra margem com a sensação de entrar em um outro universo.

2 comentários em “Caraíva”

  1. Para mim existem duas coisas que falam muito sobre o lugar e sua cultura, as pessoas e a comida. As pessoas, principalmente, dão alma e vida seja em um país, ou um vilarejo. E você tem esse olhar que falta a muitos turistas. Parabéns! Lindo texto e fotos!

    Curtir

  2. Você está fazendo uma viagem linda. A gente sente sua emoção de chegar em cada lugar, de conhecer as pessoas que você conheceu, dos desafios da estrada em cada palavra que você escreve, em cada foto que você tira. Sua sensibilidade é linda se ver! Eu fico na saudade, mas muito feliz e orgulhosa de você.❤️

    Curtir

Deixe uma resposta para Hérica Maciel Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s