Curitiba

Curitiba é uma cidade considerada organizada, limpa e, relativamente, segura, quando comparada às demais capitais brasileiras.

Muita gente ouviu falar da cidade pela eficiência do transporte público e pelos lindos parques.

Eu achava muita graça quando via as pessoas tirando fotos nos pontos de ônibus.

Achei o transporte público de Aracaju mais ágil. Mas essa não é uma avaliação científica. Além disso, para mim, o transporte rodoviário é coisa do passado.

Eu já conhecia Curitiba, mas dessa vez não achei a menor graça na cidade. Cada um tem sua experiência, que acredito estar muito mais associada ao modo como estamos do que ao lugar propriamente dito.

Em Curitiba aconteceu um fato que me chateou e que não me orgulho: entrei em uma padaria (bem chique) e a atendente me olhou de um modo que não gostei.

Ela me olhou “de cima a baixo” e eu fiquei bravo com aquela “recriminada”. Para deixá-la constrangida, falei em inglês.

Ela não soube me responder, ficou sem graça e eu, claro, saí de lá. Depois me senti culpado. Não tinha nada que ter feito aquilo.

Enfim, não gostei muito de como as pessoas falaram comigo em Curitiba. Devia ser mesmo hora de cortar o cabelo e a barba e começar a andar de tênis.

Estava programado de ir em Morretes e na Ilha do Mel. Mas a previsão do tempo estava muito ruim e eu cansei do Paraná.

Mesmo assim, tive bons dias de sossego em Curitiba e fiquei em um hostel muito bom. Lavei roupas na máquina, ajustei a bike e me alimentei bem.

Fico falando dos parques, mas passei horas neles. Sentado, “só existindo”, como diria minha mãe.

Obrigado a todos que acompanham.