A Lua e eu

Com 5 meses de estrada, muitas vezes já não sabia que dia da semana ou do mês era (com exceção dos domingos).

Mas o nascer da Lua Cheia em junho me situou no tempo e no espaço. Fiquei admirando aquele espectáculo da natureza e refletindo.

Estava na Bahia no plenilunio de maio, em uma noite muito especial, ao som dos meninos do “@lamusicleta”.

Enquanto a Lua deu uma volta na Terra, cruzei 6 Estados a tempo de vê-la nascer cheia novamente no Mar, em Santa Catarina.

Percorri o extremo sul baiano em estradas de chão, depois voltei a pedalar na perigosa BR 101.

Após dias conturbados, cheguei a Vitória (ES). Na sequência, mudei meu roteiro e encarei grandes subidas.

Senti o peso da solidão e da saudade no caminho para Minas, onde encontrei pessoas queridas e os pais do Léo.

Em São Paulo, senti fortes emoções, que aplacaram o frio daqueles dias. Cruzei o Paraná sem encontrar sentido naquele caminho, mas cheguei a Santa Catarina emocionado e feliz.

Por tudo isso, acho que não sei responder “quanto tempo será que demora um mês pra passar?”.

Isso porque, como para a criança que não sabe contar, pra mim, demorou um tempão.

Não foram meus dias mais bonitos e excitantes na estrada. Mas acredito que devia estar em cada lugar que passei, sentir cada uma daquelas muitas emoções.

Obrigado a todos que acompanham