Descobertas e conquistas

Descobrir e conquistar são anseios do âmago do ser humano. Não à toa, dominamos o fogo, desenvolvemos a agricultura e nos espalhamos pelo planeta.

Essa viagem sempre girou em torno desse binômio (descobrir – conquistar). Partir rumo ao desconhecido é um norte muito atraente.

Por isso, desde o dia que pensei que poderia viajar de bicicleta, experimentei uma série de emoções e vivenciei inúmeras situações.

Na fase de planejamento, pensava em como seria a estrada, como seria meu primeiro contato com o Mar.

Lembro muito bem da primeira vez que deitei no colchão de ar (em cima da cama). Minha cabeça foi longe: imaginei os lugares que poderia dormir, pensei se, um dia, conseguiria deitar com a barraca aberta, olhando para as estrelas.

Quando chegou o momento de subir na bicicleta e girar os pedais pela primeira vez, não quis esperar mais nenhum segundo.

Havia o mundo para ser descoberto, pedalado, vivido. Muitos sonhos a serem concretizados. Era muita adrenalina em um momento só.

Talvez, seja impossível enumerar as descobertas e conquistas até aqui. Tudo se passa de modo dinâmico e cada novo destino representa uma conquista, uma infinidade de possibilidades se descortinam.

Ter chegado tão longe, com a força das minhas próprias pernas é, para mim, uma grande conquista. Maior do ponto de vista humano do que, propriamente, atlético.

Conseguir pedir ajuda, pedir água, pedir desconto, trocar trabalho (no caso fotos) por hospedagem e passeios, foram grandes conquistas pessoais.

Conhecer tantas boas pessoas, conseguir acessa-las, entendê-las e criar laços estritos de amizade, são habilidades que descobri e desenvolvi durante a viagem. É meu maior orgulho.

O real não está no início nem no fim, ele se mostra pra gente é no meio da travessia…

Os Sertões – Guimarães Rosa

Obrigado a todos que acompanham